sábado, março 02, 2024

DOIS LADOS DA MESMA MOEDA – A simbiose dos Propósitos

Por Claudius D’Artagnan C. Barros

 

A palavra propósito tem sua origem etimológica no latim propositum, uma conjugação do verbo proponere, o qual significa “colocar à frente”. O verbo “Proponere” é composto pelos elementos “pro” (que indica movimento para frente) e “ponere” (que significa “colocar” ou “por”).

Conceitualmente, “propósito” difere de “objetivo”. Embora tais expressões sejam habitualmente utilizadas como elocução de sentido semelhante e, por vezes aplicadas de forma intercambiável, há uma distinção sutil entre elas. Um objetivo é uma conquista futura que se deseja alcançar. É algo específico, mensurável, geralmente com um prazo definido. Por exemplo: Concluir um determinado projeto até o final do mês ou, correr uma maratona numa determinada regularidade no próximo ano…. Os objetivos fornecem um alvo claro, definido e estimável.

Já o propósito, tem sentido mais amplo e vai além do objetivo quanto ao significado e abrangência. Implica em uma visão planejada e não se limita apenas a uma conquista pontual, futura e mensurada. Inclui a noção de um caminho – de uma trilha, ou plano que viabilizará tal conquista. O propósito pressupõe à identificação da trajetória, dos meios e requisitos pelos quais uma pessoa busca realizar seus objetivos. Portanto, propósito é – em verdade, um plano construído para se conquistar um objetivo e suas metas associadas.

De qualquer forma, cabe ressaltar de maneira metafórica, que os objetivos precisam ser escritos à caneta e o caminho para conquistá-lo, à lápis!! Talvez esta metáfora exemplifique bem a relação entre objetivo e propósito.

Construir um propósito de vida, ou um propósito profissional é uma jornada desafiadora, e que pode trazer profunda satisfação e realização pessoal. Trata-se, contudo, de um processo inato e único para cada indivíduo. A dificuldade está na pressão de equilibrar as ambições, com a necessidade de garantir a qualidade de vida, o bem-estar e encontrar um significado maior em nossa existência. Entretanto, o propósito de vida e o propósito profissional se interrelacionam o tempo todo, seus caminhos se cruzam com frequência e isso requer certa maturidade para administrá-los.

No caso do propósito profissional – em particular, vai além de ter um bom emprego que remunere bem. Envolve questões mais sensíveis, como encontrar um trabalho que seja significativo, estimulante e que aplique seus talentos e habilidades. Quando você define e planeja seu propósito profissional, o trabalho deixa de ser apenas uma fonte de renda e se torna uma maneira de expressar sua paixão por aquilo que faz.

Já o propósito de vida, refere-se àquilo que dá significado e direção à sua própria existência. É o conjunto de valores, paixões, talentos e aspirações que nos guiam na busca de uma vida plena, saudável e significativa. O propósito de vida geralmente está relacionado a questões mais amplas, como contribuir para o bem-estar dos outros, fazer a diferença no mundo, seguir um ideal ou realizar um sonho pessoal.

Ter um propósito profissional e de vida bem definidos (entenda-se: com caminhos bem gerenciados), resulta em motivação intrínseca, o que é fundamental para a qualidade e para a conquista dos resultados. Esta simbiose facilita a tomada de decisões e a busca por oportunidades que estejam alinhadas com os valores e interesses pessoais. Isso significa que os profissionais podem direcionar suas carreiras de forma mais consciente, escolhendo caminhos que lhes proporcionem maior satisfação, bem-estar e realização.

Quando há harmonia entre o propósito de vida e o propósito profissional, significa que o trabalho deixa de ser apenas uma obrigação ou fonte de sobrevivência e passa a ser uma expressão de quem somos e do impacto que queremos causar na sociedade.

É importante ressaltar que nem sempre é fácil conciliar os dois propósitos. Enfrentaremos desafios e obstáculos ao longo do caminho, como pressões financeiras, interferências oriundas de constante mutação dos cenários externos e outros fatores exógenos, além do nosso controle. É um processo que requer profunda e constante reflexão, resiliência e – principalmente, estratégia. Os planos e ações na construção do propósito poderão sofrer mudanças e ajustes, porém, tenha certeza de que o objetivo final será gratificante.

Embora seja difícil desassociar completamente o propósito de vida do propósito profissional, encontrar uma conexão significativa entre esses dois propósitos é um objetivo valioso. Esta simbiose pode trazer um senso de realização, conforto e tranquilidade espiritual, contribuindo – conforme afirma a ciência do comportamento humano, maior possibilidade de vida longeva.

Um bom exemplo está no conhecido conceito Ikigai, uma filosofia adotada pelos habitantes das ilhas de Okinawa, ao sul do Japão.

O termo Ikigai combina as palavras “iki“, que significa vida, e “gai“, que se refere a valor ou razão. Essa filosofia enfatiza a importância de perseguir um propósito e significado na vida.

O Ikigai pode ser descrito como a interseção de quatro elementos principais: paixão, missão, profissão e vocação. É uma espécie de congruência em que esses quatro elementos se combinam, criando um senso de propósito e satisfação.

Quando alguém encontra seu Ikigai, experimenta uma sensação de plenitude e harmonia, tanto em sua vida, quanto em sua profissão, ou seja, no trabalho.

Os habitantes de Okinawa são conhecidos por terem uma das maiores expectativas de vida do mundo, com alta proporção de pessoas longevas. Acredita-se que o Ikigai desempenha um papel significativo na questão da longevidade e do bem-estar. Eles têm uma forte conexão com seus propósitos individuais e se envolvem em atividades (principalmente a da plantação de arroz, principal atividade da ilha), que são significativas para eles, seja por meio de seus relacionamentos, hobbies ou rotina do trabalho diário.

Para os habitantes de Okinawa, o Ikigai vai além de simplesmente encontrar prazer ou satisfação pessoal. Envolve uma abordagem holística da vida, onde o propósito é encontrado em contribuir (ou produzir) para a comunidade algo de valor e que resulte no bem-estar coletivo. Eles valorizam os relacionamentos, o senso de pertencimento e a colaboração em prol de objetivos comuns.

A filosofia do Ikigai nas ilhas de Okinawa destaca a importância simbiótica de encontrar um propósito e significado na vida e no trabalho e busca uma abordagem holística que vai além do benefício individual.

Então caro leitor, já pensou (e planejou) seu propósito?

 

Claudius D’Artagnan é empresário, professor universitário, membro da Academia Brasileira da Qualidade e da Academia de Letras de Lorena/SP. Produz vídeos temáticos no Youtube Canal Dartabarros: https://youtube.com/@DartaBarros

Este artigo expressa a opinião dos Autores e não de suas organizações.

Siga-nos nas Redes Sociais

5 comentário sobre “DOIS LADOS DA MESMA MOEDA – A simbiose dos Propósitos

  1. Muito bom meu caro D’Artagnan.
    É outra forma de ver o conceito qualidade na prática: Buscar a felicidade. Encontrar seu Ikigai.

  2. Brilhante a reflexão proposta, no momento em que vemos cada vez mais o mundo corporativo estar buscando definir seu propósito.
    Parabéns pela lucidez da abordagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados